Breve estudo de desempenho do enfermeiro com o Método Mãe Canguru em uma UTI Neonatal da Bahia

Taise Ribeiro Oliveira, Júlia Santos Nunes

Resumo


A prematuridade é um fator de risco para inúmeros recém-nascidos no mundo. Como proposta para melhorar os cuidados, surge o Método Mãe Canguru, uma intervenção que diminui a permanência na incubadora e consequentemente estabelece maior contato entre mãe e recém-nascido. Esta pesquisa descritiva, exploratória e quantitativa teve como objetivo verificar a performance do enfermeiro com o Método Mãe Canguru na UTI Neonatal, visando aferir seus conhecimentos. Como resultado identificou-se que os enfermeiros possuem bom conhecimento a respeito do método, no entanto, em relação aos objetivos, há ausência de informações importantes.


Palavras-chave


Método Mãe Canguru; UTI Neonatal; Recém-nascido

Texto completo:

PDF

Referências


Carvalho MR de. Método mãe-canguru de atenção ao prematuro. Rio de Janeiro: BNDES; 2001:96 p.: il. – (BNDES Social; n. 1)

Almeida AC, Jesus ACP, Lima PFT et al. Fatores de risco maternos para prematuridade em uma maternidade pública de Imperatriz-MA. Rev Gaúcha Enferm; 2012.

Kenner Carole. Enfermagem neonatal. 2ª edição. Rio de Janeiro: Reichmann e Affonso Editores; 2001.

Marcondes E, Vaz FAC, Ramos JLA, Okay Y. Pediatria básica: pediatria geral e neonatal. 9ª ed. São PauloSP: Sarvier; 2002.

Ministério da Saúde. Manual Técnico pré-natal e puerpério. Brasília;2006.

Moreira MEL, Rodrigues MA, Braga NA, Morsch DS. Conhecendo uma UTI neonatal, pp. 29-42. In MEL Moreira, NA Braga & DS Morsch (orgs.). Quando a vida começa diferente: o bebê e sua família na UTI Neonatal. Fiocruz, Rio de Janeiro; 2003.

Ministério da Saúde. Manual Técnico. Atenção Humanizada ao recém-nascido de baixo peso. Método Canguru. 2° ed. Brasília DF;2011.

Ministério da Saúde. Atenção humanizada ao recém-nascido de baixo peso: Método Canguru. 2. ed. Brasília: Editora do Ministério da Saúde; 2013.a

Souza LPS et al. Método Mãe Canguru: percepção da equipe de enfermagem na promoção à saúde do neonato. Rev Bras Promoção Saúde, Fortaleza. 2014;27(3):374-380

Gomes JATS, Martins MJL, Hertel VL. Método Mãe Canguru: percepção da equipe de enfermagem. Reenvap, Lorena. 2015; 1( 8):66-79.

Meira, Elizabeth Aparecida et al. Método Canguru: a visão do enfermeiro. Rev Inst Ciênc Saúde, São Paulo, jan. 2008;26(1):21-26.

Ministério da Saúde. BNDES. Fundação Orsa. Guia de Orientações para a família canguru. Baseado no Manual Técnico de Atenção Humanizada ao Recém-Nascido de Baixo Peso; 2002b.

Santos A. A Importância do Contacto Precoce Pele-a-Pele Entre Mãe e Bebé. Portimão, Lagos: Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio, EPE;2011.

Almeida CM, Almeida AFN, Fort EMP. Efeitos do método mãe canguru nos sinais vitais de recém-nascido pré-termo de baixo peso. Revista Brasileira de Fisioterapia. São Carlos;2007;11:1.

Araujo BBM, Rodrigues BMRD. Vivências e perspectivas maternas na internação do filho prematuro em Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal. Rev. esc. enferm USP, São Paulo; 2010;44: 4.

Veras, Renata Meira; Yepez, Martha Azucena Traverso. O cotidiano institucional do método mãe canguru na perspectiva dos profissionais de saúde. Psicol. Soc. Florianópolis,2011;23:90-98

Silva, Laura Johason et al. A adesão das enfermeiras ao Método Canguru: subsídios para a gerência do cuidado de enfermagem. Rev. Latin-am. Enf. Ribeirão Preto. mai./jun. 2015;23(3):.483-90.

Hennig MAS, Gomes MASM, Gianini NOM. Conhecimentos e práticas dos profissionais de saúde sobre a Atenção Humanizada ao recém-nascido de Baixo peso: método canguru. Revista Brasileira de Súde Materno Infantil, Recife; 2006;6(4):427-435.

Conz CA, Merighi MAB, Jesus MCP. Promoção de vínculo afetivo na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal: Um desafio para as enfermeiras. Revista Enfermagem USP; 2009;43(4):849-855.

Reichert APS, Lins RNP, Collet N. Humanização do Cuidado da UTI Neonatal. Revista Eletrônica de Enfermagem; 2017;09(01):200-213.

Bardin L. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal; Edições 70, LTDA; 2009.

Nascimento ERP, Trentini M. O cuidado de enfermagem na unidade de terapia intensiva (UTI): teoria humanística de Paterson e Zderad. Rev Latino-am Enfermagem; 2004

Brasil. Secretaria de Assistência à Saúde (SAS): Portaria no. 72, de 2 de março de 2000. Atendimento ao Recém-Nascido de Baixo Peso. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília; 2000.1

Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Atenção humanizada ao recém-nascido de baixo peso, método mãe canguru. Brasília: Ministério da Saúde; 2002ª.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.