Mortalidade por agressões e lesões autoprovocadas voluntariamente: reflexões sobre a realidade brasileira

Aline de Carvalho Martins, Camila Rebouças Fernandes

Resumo


O estudo aponta as mudanças no perfil de mortalidade associada às agressões e a lesões autoprovocadas voluntariamente, considerando as variáveis de faixa etária, sexo e raça/cor, na última década. Trata-se de uma pesquisa descritiva, de abordagem quantitativa, com base nos dados disponibilizados pelo DATASUS. Verificou-se um aumento nos assassinatos e suicídios durante o período analisado, o que sinaliza uma maior exposição da população brasileira à violência. A mortalidade se concentra nos adultos jovens, porém os extremos do ciclo de vida foram acometidos pelos maiores aumentos estatísticos.  No que diz respeito à cor, verifica-se um extermínio da população indígena e aumento na mortalidade do grupo pardo. Quanto as mulheres, sua mortalidade está em crescimento desde o início da década.

 


Palavras-chave


Mortalidade-causas externas; violência; homicídio; suicídio

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL, Ministério da saúde DATASUS, estatísticas vitais (acesso em 24 de março de 2016).

MELLO JORGE, MHP, KOIZUMI, MS, TONO, VL. Causas externas: o que são, como afetam o setor saúde, sua medida e alguns subsídios para sua prevenção. Revista Saúde – Universidade de Guarulhos 2007; 1(1): s.n.p.

BRASIL, Ministério da Saúde. Política Nacional para a Redução da Morbimortalidade por Acidentes e Violências. Portaria 737/GM, 2001.

MARTINS, AC, MELO, FR. Gênero: dimensão fundamental da saúde humana. In: Silva, Letícia Batista; Ramos, Adriana Silva. (Org.). Serviço social, saúde e questões contemporâneas: reflexões críticas sobre a prática profissional. 1ed. São Paulo: Papel Social, 2013; s/n(1):165-183.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE, OMS. Relatório mundial sobre violência e saúde. Genebra: OMS, 2002.

SOUSA, SPO, NETTO, OBS. Acidentes e violências causam 700 mil internações e gasto de R$900 milhões. Publicação Científica do Curso de Bacharelado em Enfermagem do Centro de Ensino Unificado de Teresina - CEUT. Observatório Epidemiológico, 2010.

BRASIL. Conselho Nacional de saúde resolução 466-2012 do CNS.

CORTE, B., KHOURY, HTT, MUSSI, LH. Suicídio de idosos e mídia: o que dizem as notícias? Psicologia USP Online 2014; 3(25):253-261.

SCHLÖSSER, A, ROSA, GFC, MORE, CLOO. Revisão: comportamento suicida ao longo do ciclo vital. Temas em Psicologia 2014; 1(22): 133-145. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-389X2014000100011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt (acesso em 02 de maio de 2016).

KUCZYNSKI, E. Suicídio na infância e adolescência. Psicologia USP 2014; 3(25):246-252.

SILVA, EA, FRANÇA, LHFP. Violência contra idosos na cidade do Rio de Janeiro. Estudos e pesquisas em Psicologia 2015; 1(15):155-177.

GRUBITS, S, FREIRE, HBG, NORIEGA, JAV. Suicídios de jovens Guarani/Kaiowá de Mato Grosso do Sul, Brasil. Psicologia Ciênc. Prof. 2011; 3(31):504-517. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932011000300006&lng=en&nrm=iso. (acesso em 09 de Maio de 2016)

SANTOS, LIC, OLIVEIRA, AM, PAIVA, IL, YAMAMOTO, OH. Juventude e violência: trajetórias de vida e políticas públicas. Estudos e pesquisas em Psicologia 2012; 2(2):521-538.

WAISELFISZ, JJ. Mapa da violência: anatomia dos homicídios no Brasil. São Paulo: Instituto Sangari, 2010.

MARTINS, AC. Maternidade adolescente e (des)proteção pública: Contribuições para a crítica ao risco social. 1. ed. Novas Edições Acadêmicas, 2014.

COSTA, MMM. da, PORTO, R. O feminicídio uma patologia sociojurídica nas sociedades contemporâneas: uma análise a partir do agir comunicativo de Habermas/ The femicide one sociojurídica pathology in contemporary societies: na analysis from the communicative action of Habermas. Barbarói, 2014; 4(s/v):4-22. Disponível em: http://online.unisc.br/seer/index.php/barbaroi/article/view/5542/3854 (acesso em 02 de maio de 2016).

BRASIL. Lei N.°11.340, de 07 de Agosto de 2006.

BRASIL. Lei N.º 13.104, de 9 de março de 2015.

CAYCEDO, A., ARENAS, ML, BENÍTEZ, M., CAVANZO, P., LEAL, G., GUZMÁN, YR. Características psicosociales y familiares relacionadas com intento de suicidio en uma población adolescente em Bogotá- 2009. Persona y Bioética 2010; 14(2):205-213. Disponível em: http://personaybioetica.unisabana.edu.co/index.php/personaybioetica/article/view/1807 (acesso em 02 de maio de 2016).

MARTINS, AC. Paternidade: significados e dilemas presentes entre homens em um hospital pediátrico no Rio de Janeiro. 01. ed. Novas Edições Acadêmicas, 2014


Apontamentos

  • Não há apontamentos.